Tema oportuno para a época que se aproxima. No entanto não é de máscaras de carnaval que falo. É das máscaras do ser humano. Das que colocamos todos os dias para sair de casa, ir trabalhar, falar com o amigo “x” ou “y” com o colega da direita, e por vezes connosco também.

Mas do início.

Acredito que vivemos na máscara. Mesmo as pessoas mais autênticas têm a sua máscara pessoal, social, profissional, familiar.

Quem és tu quando ninguém está a ver?

Acredito em máscaras. Acho que nos ajudam a lidar melhor com o que nos rodeia. Acredito nas máscaras reais. Não acredito em dissimulações e outras desilusões.

Dentro da máscara podemos ser genuínos nos papeis que desempenhamos. Dentro da mentira não.

Quem és tu em frente ao espelho?

Acredito, no entanto, que, vivendo bem com a máscara, viveremos melhor fora dela. Viveremos melhor no nosso centro e no nosso grounding.

Viveremos sempre melhor quando a nossa realidade está em sintonia com quem somos e o nosso interior com o nosso ambiente externo.

Assim, boas máscaras para dia 13 de fevereiro e bom trabalho no caminho da autenticidade e congruência interna e externa.

PUBLICADO: BIRD Magazine, 11 de fevereiro de 2018